terça-feira, 30 de novembro de 2010

FAZENDEIRO e a FAZENDINHA



























































































































































Fazendeiro é um arrojado que faz as coisas a sua maneira. É um ser criativo que ama o campo e a natureza e que muitas vezes troca a cidade pela fazenda, onde acaba passando a maior parte do seu tempo, dos seus dias. Tem fazendeiros de todos os tipos. Os que espantam trovões, os que rezam pelas suas lavouras, os que pedem chuva, os que espantam os ventos e que no fim todos acabam pensando igual. Querem tempo bom para suas plantações e fazem com a alma seus mais diferentes pedidos. Acho que enfim todos são felizes, cada qual ao seu modo, sem muito mistério, pois todos são capazes. Os dias de tristeza são compensados pelos dias de alegria, pois são compreensivos.
A fazenda apesar de tantas belezas esconde muitos segredos, aonde as coisas acontecem e apenas vão seguindo a natureza. O fazendeiro é um homem forte que muitas vezes chora nos momentos de tristeza, mas tem também a recompensa pelo trabalho, quando vê sua lavoura prosperar, o seu gado engordar e os frutos da sua labuta ser colhidos com muita alegria. Poucos não trocam o conforto das grandes metrópoles pela vida de acordar às cinco da manhã para tirar leite da vaca, tirar água do poço, cuidar das criações e muito menos enfrentar uma enchada e cuidar da terra.
Brincar de fazendeiro é legal, é gratificante. Assim fizemos nesse sábado de 27/NOV/2010 indo ao tradicional Restaurante de campo "A FAZENDINHA". Local onde a comida ao estilo caseiro tipicamente mineira é farta em todos os sentidos e haja estomago e fome para experimentar tudo de bom que lá tem. Acho eu engordamos um bocadinho a mais.
O meu amigo Cmte. William, além de piloto agrícola e proprietário da Aero Agrícola Agrotelles, é um fazendeiro em Minas Gerais com direito a pista de pouso e tudo mais, com titulo de propriedade e detém nas suas terras a Nascente Geográfica do Rio Velho Chico. Na sua linda fazenda muitos nelores colorem o seu campo. Eu de fazendeiro só tenho a vontade e um lindo chapéu que ganhei do meu querido amigo fazendeiro MITO MONTANS e que guardo com todo carinho
. Muitas vezes ter um lindo chapéu de fazendeiro vale mais que mostrar a escritura da fazenda. E lá fomos convidados pelo Fazendeiro William Teles, para um almoço no Restaurante típico “A Fazendinha” em Ribeirão Preto-SP às margens da Rodovia Anhanguera, mais precisamente no Km 36.5 ( telefone: 016 – 36281468).
Cheguei com a Betty no meu carro Fiat Idea sem Idéia, garbosamente usando o chapéu de fazendeiro. Estacionamento já estava quase lotado e as poucas vagas estavam distantes. Arrisquei prosseguir até a entrada do estabelecimento superlotado, onde um porteiro guardava o local VIP. Em tom caipira perguntei onde poderia estacionar o veiculo. Penso que ele achou que fosse um fazendeiro, pois me convidou a estacionar na área VIP na porta de entrada do Restaurante, abrindo os cones que isolavam o local certamente reservado para os Doutores e os Coronéis do Campo.
Graças ao meu chapéu consegui me transformar derrepente num homem do campo semi-famoso, sem dotes algum de terras, mas com alguns previlégios.

Um comentário:

  1. Mas que inveja de ocêis que eu tô!!!!!

    Schumann

    ResponderExcluir